Google vai usar tecnologia AMP para tornar e-mails mais interativos
Google vai usar tecnologia AMP para tornar e-mails mais interativos

Em breve, pequenas ações como favoritar uma página, confirmar uma reserva ou registrar a intenção de comparecer a um evento poderão ser feitas diretamente pelo Gmail. A Google anunciou que está aplicando sua tecnologia de Accelerated Mobile Pages (AMP) também ao serviço, de forma a tornar as mensagens de correio eletrônico mais interativas e úteis.

A tecnologia foi liberada nesta semana para os desenvolvedores, com a expectativa de que suas primeiras aplicações apareçam em breve. A ideia básica é que alguns recursos estejam disponíveis nas próprias mensagens, reduzindo a quantidade de cliques necessários para realização de uma ação, tornando-as mais intuitivas e, muitas vezes, dispensando até mesmo o login.

É o caso, por exemplo, de uma das propostas exibidas pela Google, na qual o usuário poderá se descredenciar do recebimento de uma newsletter de maneira rápida. Uma vez insatisfeito com a frequência ou conteúdo dos e-mails, ele poderá simplesmente clicar em um botão específico e escolher se deseja ou não continuar os recebendo, de quanto em quanto tempo, ou nunca, se for o caso. E essa é apenas uma das ideias possíveis.

As AMPs foram lançadas pela Google em 2015 para tornar a rede mais rápida e leve, principalmente no acesso por meio de dispositivos móveis. Trata-se de um projeto de código aberto voltado, também, para aceleração da web, garantindo que ela funcione da forma como deveria em todo tipo de dispositivo, sem que seja necessário criar versões de páginas web específicas para determinadas resoluções ou aparelhos.

Hoje, essa tecnologia é utilizada, por exemplo, na exibição de resultados de busca específicos dentro de sites de comércio eletrônico – com sugestão de termos que tornam a pesquisa mais direta ou dá alternativas aos produtos buscados – ou no foco em carregar o conteúdo antes de outros elementos. Em sites de notícias, por exemplo, o sistema é importante para garantir a retenção, fazendo com que textos e fotos sejam disponibilizados antes até mesmo que o próprio layout da página em que estão.

Os exemplos citados pela Google para aplicação no Gmail vêm das mãos de parceiros como Booking e Pinterest. Nenhum dos dois aplicou o recurso na prática, para os clientes, mas suas aparições no anúncio da empresa indicam que uma implementação, pelo menos para ambos, da mesma forma que outros aliados próximos da companhia, pode estar bem próxima. A ideia é que o recurso seja implementado para os usuários até o final deste ano.

Fonte: Google

Deixe nos comentários o que achou deste texto! Sua opinião é muito importante para nós.

Até a próxima!

DEIXE UMA RESPOSTA